A nutricionista Livia Hasegawa fala sobre o debate em torno do produto

 

Foto: shutterstock.

Nas últimas semanas, o óleo de coco foi tema de grandes discussões pela internet. Por isso, este mês me dedico a escrever sobre este alimento.

Em primeiro lugar: não existe nenhum alimento milagroso e que vai te emagrecer. Querer utilizar o óleo de coco com este objetivo é o primeiro erro que você pode cometer. Sabemos que na nutrição não existem pílulas mágicas (apesar de sempre quererem inventar alguma).

O óleo de coco possui, sim, predominantemente gordura saturada, mas já existem diversas evidências que não é este tipo de gordura que eleva risco cardíaco (Ramsden, et al. BMJ, 2013). Isso, obviamente, dentro de uma dieta equilibrada. Agora, a associação de uma dieta com alto consumo de açúcares e carboidratos refinados a uma dieta com grande ingestão de gorduras saturadas pode levar, sim, risco à sua saúde.

Um recente estudo clínico randomizado feito com pacientes que apresentam doenças coronarianas, publicado em 2016 (Vijayakumar, et al , 2016), conclui que “apesar do óleo de coco ser rico em gorduras saturadas, comparando seu uso com o óleo de girassol por um período de 2 anos, não houve nenhum aumento de risco cardiovascular nestes pacientes”.Também temos diversas evidências científicas mostrando que o óleo de coco não possui efeitos inflamatórios (coloquem no pubmed “coconut oil inflammation” para acessar algumas referências).

Agora, apesar de todos esses fatos, é claro que você não vai ficar usando óleo de coco em excesso. Não precisa usar óleo de coco para cozinhar tudo e nem ficar tomando óleo de coco com café o dia todo. Alterne seu consumo com azeite, uma boa manteiga e seja feliz!

Ah! E não fuja da gordura natural dos alimentos (natural e não a adicionada da indústria), mas também não se force a comer excesso de gorduras. Continuo na ideia de que equilíbrio é a chave para uma vida saudável!

 

Livia Hasegawa é nutricionista pela USP, com especialização em fisiologia do exercício pela Unifesp, nutrição clínica funcional pela VP Consultoria Nutricional e pós graduanda em fitoterapia funcional. Desde 2007, atua em consultório particular e atende atleta amadores, profissionais e pessoas em busca de mais saúde, qualidade de vida e uma relação mais harmoniosa com a comida.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *